Meu Vizinho Totoro: a obra mais bela e curativa de Miyazaki - YouCine
YouCine logo
YouCine
Edit Template

Meu Vizinho Totoro: a obra mais bela e curativa de Miyazaki


Warning: Undefined array key "titleWrapper" in /www/wwwroot/youcine.io/wp-content/plugins/seo-by-rank-math/includes/modules/schema/blocks/toc/class-block-toc.php on line 103
Meu Vizinho Totoro

Para mim, a obra mais inocente e bela de Hayao Miyazaki é “Meu Vizinho Totoro”. Meu Vizinho Totoro foi lançado em 16 de abril de 1988 e, devido a esse filme calmo e comovente, Totoro se tornou um nome conhecido em todo o mundo. Meu Vizinho Totoro é perfeito para toda a família. Hayao Miyazaki disse em uma entrevista: “Em nosso campo, há um tipo de elfo mágico que vive e brinca ao nosso redor, como nossos vizinhos. Mas as pessoas comuns não conseguem vê-los, e diz-se que apenas os corações inocentes das crianças conseguem captar seus rastros. Se alguém ouvir com calma, o som de sua corrida pode ser ouvido levemente no vento.” 

Assista ao filme de animação infantil Meu Vizinho Totoro no YouCine! O YouCine tem uma gama rica e diversificada de conteúdo de todo o mundo, incluindo filmes recém-lançados, séries de TV clássicas, eventos esportivos ao vivo, documentários e muito mais.

A inocência e os estranhos encontros de Meu Vizinho Totoro

Meu Vizinho Totoro

Essa é uma lenda que Miyazaki ouviu em sua cidade natal quando era criança e, quando jovem, costumava esperar seriamente nos caminhos e procurar o bar entre os arbustos. Quando cresceu, dedicou-se à produção de animações, mas sempre se lembrava dos belos momentos que passava no campo e do sonho delicado que tecia para as crianças. Sob a inspiração dessa emoção, “Totoro” foi lançado.  

Muitos dos trabalhos posteriores de Miyazaki refletem o conflito entre o homem e a natureza, permitindo que o público explore o significado por trás do filme. No mundo dos sonhos que criou, ele usou uma imagem vívida do tema da proteção ambiental para despertar a reflexão do mundo humano sobre a natureza, a nobreza e a inviolabilidade da vida, e para transmitir a ideia de coexistência harmoniosa entre os seres humanos e a natureza.

Meu Vizinho Totoro é um filme sobre um pai que se muda para o interior do país com suas duas filhas para cuidar da mãe doente. No início, as duas crianças demonstram um otimismo especial. Quando veem a casa dilapidada e em ruínas, elas riem alegremente e dizem: “É tão ruim que parece uma casa mal-assombrada”. Quando vi isso, ainda fiquei um pouco confuso, o que isso quer dizer?

Então, continuei lendo, pouco a pouco, para descobrir a pulsação, para descobrir por que as duas crianças são tão otimistas e alegres. Elas entram em sua nova casa e, quando Xiao Yue e Xiao Mei percebem que a casa tem espíritos da poeira, elas dizem ao pai: há coisas estranhas nesta casa. A resposta do pai é: isso é fantástico, o pai sonha em morar em uma casa mal-assombrada desde que era criança!

Hayao Miyazaki é bom em retratar algumas coisas comuns da vida com a perspectiva de uma criança. A poeira também se transforma em “Dust Wizard” sob sua criação imaginativa, pulando para cima e para baixo, de forma fofa e engraçada.

Harmonia entre o homem e a natureza

Meu Vizinho Totoro

Xiao Yue e Xiao Mei ainda estão felizes. Para as crianças, qual é o grande medo do desconhecido, o gênio da poeira? Será que são os fantasmas? Não, tudo o que elas precisam fazer é gritar para se encorajarem. É como quando eu era criança, tinha tanto medo do escuro que, toda vez que passava por algum caminho escuro, imaginava que aquele era na verdade o lar dos duendes e que a magia me protegeria desde que eu não tivesse medo. …. Com essa distração, logo consegui voltar para casa.

Como o pai tinha que visitar a mãe doente no hospital com frequência, as duas meninas tiveram que se familiarizar com o novo ambiente que as cercava. O céu era tão azul e o ar era tão bom no campo, não havia a agitação do trânsito e não havia mais muros altos e grossos de concreto. No abraço da natureza, as duas crianças sentiram uma euforia que nunca haviam sentido antes.

Então, elas viram as pequenas chinchilas se movendo no pátio, o misterioso carvalho antigo e imponente e a ninhada de chinchilas, grandes e pequenas, no buraco da árvore. Embora sejam gordas como uma pequena montanha, mas não tenham medo das pessoas, chinchilas gordas, ah, você gostaria de fazer um amigo? Duas crianças gentis emprestaram um guarda-chuva à chinchila em uma noite chuvosa, embora seu grito fosse um pouco assustador e seu sorriso um pouco “estranho”. Mas quando ele pega o guarda-chuva e fica um pouco abatido pelo fato de não saber como usá-lo, todos nós entendemos sua bondade.

Nós nos sentimos atraídos pelo Meu Vizinho Totoro, mas nossa inveja e desejo não se deveu à falta de um Totoro ao nosso redor; Totoro não é um espírito de fada onipotente com o qual podemos contar e depender.

Vi meu pai correr para casa com minhas irmãs para adorar o deus da floresta; vi minha irmãzinha se apoiar na minha sogra e soluçar incontrolavelmente; vi minha irmãzinha se espremer no assento da minha irmã para ouvir a lição juntas; vi toda a aldeia sair à procura da criança perdida; vi um pequeno caranguejo torto na carta que minha mãe havia recebido. Vi até mesmo meu pai sacudindo um leque de alqueire e conversando com minha mãe. Não pude ouvir o conteúdo nem ver seu rosto, mas ainda assim pude sentir a felicidade transbordando.

Força interior

Meu Vizinho Totoro

A dignidade natural da natureza humana no filme Meu Vizinho Totoro é um contraponto ainda maior à obscenidade, ao desamparo e à agitação da vida contemporânea. Todas as coisas que nos deixam tão ansiosos e exaustos, todas as coisas pelas quais temos de pagar, todas as coisas pelas quais temos de pagar, todas as coisas pelas quais temos de pagar, todas as coisas pelas quais temos de pagar, todas as coisas pelas quais temos de pagar, todas as coisas pelas quais temos de pagar, todas as coisas pelas quais temos de pagar, todas as coisas pelas quais temos de pagar, não são um problema aqui.

A bela família original, a vida feliz, a dignidade humana, não é muito difícil, mas muito simples, não é difícil trocar mil moedas de ouro, mas menos de um centavo. O que acontece é que abandonamos ou perdemos as coisas mais básicas que nos tornam humanos enquanto caminhamos.

Se você não contar totoro, as coisas que acontecem no filme podem ser consideradas triviais e realistas ao extremo. É apenas um filme comum que Miyazaki retirou de uma vida comum. Mas quando ele elimina o comercialismo materialista e todas as relações humanas dispensáveis, ficamos surpresos ao ver o toboro, o mundo real da natureza humana. Se o toboro não é a mágica de Miyazaki, então talvez, seguindo a orientação de Miyazaki, de perseguir o mundo em constante mudança fora do corpo para questionar seu próprio coração, um mundo diferente, alegre e claro e até mesmo um pouco de fantasia, como o toboro no corpo do mundo, será apresentado aqui. E essa pode ser a metáfora do toro.

Deixe um comentário