Kill Bill - Arte audiovisual na estética violenta de Quentin1

Kill Bill – Arte audiovisual na estética violenta de Quentin


Warning: Undefined array key "titleWrapper" in /www/wwwroot/youcine.io/wp-content/plugins/seo-by-rank-math/includes/modules/schema/blocks/toc/class-block-toc.php on line 103

Se você reunisse um filme de gângster italiano, um filme de kung fu de Hong Kong, um filme de samurai japonês e um anime no mesmo filme, consegue imaginar que tipo de filme seria? Quentin Tarantino, em seu novo filme Kill Bill 1, permite que esses elementos do cinema de gênero popular reajam uns aos outros de uma maneira maravilhosa, baseando-se no gênero, mas criando um filme personalizado que é antigênero.

Assista no Youcine Você ainda está tendo problemas para encontrar um canal de recursos para assistir a Kill Bill? Faça o download do Youcine apk, você pode obter muitos recursos de filmes e TV. O Youcine tem uma equipe profissional, novos filmes estão nas prateleiras todos os dias. O Youcine está comprometido em fornecer a melhor experiência para os espectadores.

Kill Bill

Kill Bill: Fonte criativa

Ideia de figurino: homenagem aos filmes de ação de Hong Kong

A homenagem de Quentin Tarantino aos filmes de ação de Hong Kong é muito evidente em Kill Bill, em que ele faz com que a noiva use um traje de força preto e amarelo que é uma réplica da imagem de Bruce Lee em seu último filme, Game of Thrones. O “terno preto mascarado” do Crazy 88 também tem uma conexão com o visual do Green Hornet.

Caracterização: Uma mistura de kung fu de Hong Kong e filmes de samurai japoneses

O motivo pelo qual Quentin permitiu que David Carradine interpretasse Bill é muito importante, pois David Carradine é discípulo de Bruce Lee, que estrelou a série de filmes e séries de TV “Kung Fu” nos anos 70, popular nos Estados Unidos, e Lau Ka Fai, herdeiro aparente da Shaw Brothers de Hong Kong, está no filme interpretando dois papéis, respectivamente o mestre da seita chinesa White Lotus Sect, “White Eyebrows”, e a gangue japonesa “Crazy 88”. O filme também apresentou Gordon, um membro da gangue japonesa Crazy 88.

Kill Bill

Quentin até colocou a empresa de Shaw como parceira nas legendas do filme Kill Bill. Além dos filmes de kung fu de Hong Kong, Quentin também demonstrou grande interesse pelos filmes japoneses de samurai. Shinichi Chiba, que interpreta um mestre espadachim, já estrelou a popular série japonesa Shadow Warriors. O nome Hattori Hanzo usado nesse filme vem diretamente da série Shadow Warriors.

Posição: Criar um novo significado no gênero mundano do cinema

Quentin nasceu na década de 1960, época em que os Estados Unidos estavam no meio de uma era de consumo em rápido desenvolvimento, quando a cultura popular substituiu a cultura de elite como a corrente principal da sociedade e quando o modernismo sério, que questionava o significado da vida, foi substituído pelo pós-modernismo, que tinha um espírito lúdico.

As pessoas se divertem ao desconstruir a autoridade. Nesse contexto social, Quentin rejeitou sua posição elitista desde o início e não buscou mais o sentido último da vida, como Bergman, Antonioni e outros mestres do cinema modernista.

Kill Bill

Em vez disso, ele adotou a posição da cultura popular e criou novos significados nesse gênero vulgar de cinema. Na mente de Quentin, o que o fascinava não era o cinema de arte individualista, mas a variedade de filmes de gênero, nos quais ele buscava seu avanço artístico.

É por isso que em Kill Bill, se você olhar com atenção, é fácil ver que Quentin homenageia seus antecessores, todos bem-sucedidos no cinema de gênero, seja Bruce Lee, os irmãos Shaw ou o diretor japonês Fukushima. Bruce Lee, os irmãos Shaw e o diretor japonês Kinji Fukasaku. Todos eles produziram algumas das séries de maior bilheteria da história do cinema.

Kill Bill: combinando violência e hilaridade

A violência é um elemento essencial dos filmes de Quentin, e Kill Bill não é exceção, com o sangue quase se tornando o símbolo de imagem mais marcante visualmente no filme. Desde a percepção até a reconstrução da violência em vídeo, Quentin sempre usou o filme como veículo para ficcionalizar seu próprio mundo violento. A falta de um tema real faz com que ele trate a violência com uma atitude bem-humorada e de flerte.

Humor e crueldade sem deixar rastros

O filme de Quentin é muito diferente do estilo engraçado habitual do gênero, ele é bom em fazer uma transição perfeita entre a violência engraçada e a violência sangrenta, justapondo os dois extremos de humor e crueldade, deixando o público com uma sensação de extrema frieza após uma boa risada.

No início da animação, Quentin usa uma série de tomadas exageradas com respingos de sangue, o que faz com que o público sinta que não se trata tanto de um massacre brutal e violento, mas de uma farsa violenta com cores de flerte.

De repente: Dividindo os elementos, juntando-os novamente

Farto do racismo no basquete, Bobby estava desanimado e queria desistir, mas ficou impressionado com a sinceridade de Haskins. O recrutamento bem-sucedido de Bobby Joe inspirou Hudgins.

Bolsas de estudo As ofertas que os jogadores brancos não veem são tesouros raros aos olhos dos jogadores negros e, no final, eles conseguiram recrutar sete jogadores negros para completar a formação da equipe. Ninguém imaginaria que seus nomes seriam gravados nos salões sagrados do Hall da Fama do Basquete.

Kill Bill

Arrependimento: a compreensão permanece na superfície dos filmes de Kung Fu

Quentin tenta usar elementos dos filmes asiáticos de kung fu para reconstruir os clássicos, mas como sua compreensão dos filmes de kung fu ainda está apenas na superfície, a compreensão dos detalhes das lutas preparadas para o filme é mais uma imitação do que uma transcendência.

Kill Bill no Blue Leaf Palace, aquela luta em destaque não pode ser vista no que é diferente do resto do lugar, Quentin, para a compreensão do oriental, ainda está confinado ao nível da espada, todos os sucessos e fracassos vêm da própria espada, mas não com a espada. Todos os sucessos e fracassos vêm da própria espada e têm pouco a ver com a pessoa que a empunha.

Kill Bill

O fato de que a noiva acaba derrotando Ishii Yan, não por causa de qualquer diferença na habilidade de espadachim de ambos, mas simplesmente porque a noiva usa a espada de Hattori Hanzo, é um artifício de enredo que parece um pouco banal para os orientalistas.

Comparado a “Lowlife”, “Kill Bill” é uma narrativa muito mais fraca, e Quentin ainda está apenas no estágio de aprendizado dos filmes orientais de kung fu, portanto, ele terá mais alguns anos pela frente antes de poder lidar com os elementos de kung fu como quiser.

Deixe um comentário